Planos de Aurora




O mundo não é fácil desde o início
Já devem passar de mil pessoas que conheço
E nenhuma é igual a outra
Você já parou pra pensar que tu convive
Ou simplesmente vive
Com Universos diferentes
Constantemente
Mudando, criando novas ideias
Destruindo outrora Pompeias
Dia após dia.

Pelas ruas tu estás andando
Ouvindo músicas
Dançando
No seu próprio ritmo
Não há medo
Não há segredo
Quando
Como uma história sem enredo
Suas mãos se tocam
Tocando uma bela canção que ninguém ouve

E ninguém precisa ouvir
São as pequenas coisas que a fará sentir
Atitudes
Desejos
Sem receios, veraneios ou entremeios
A parte mais difícil sempre será fazê-la ver
Virar o rosto em tua direção
E ter noção
Do que tu pode oferecer
Chegam a compará-las com rosas
Como se tudo fossem pétalas ou espinhos
Quando o que mais merecem são apenas carinhos

Não basta ser só o mais forte
Ou o mais inteligente
Quando um sorriso não mente
Só é raro perceber

Espero que tu possa ler isso
Porque escrever pensando em você nunca é difícil
Que tenham sido sexta-feiras chuvosas
Ou segundas morosas
Que tenham sido conversas a noite
A única coisa que serve como açoite
É não saber a tua resposta
Andar assim é como percorrer uma costa
Logo pela manhã
Não posso dizer que não é linda a paisagem de olhar
Mas eu queria era poder tocar
E se perguntarem por que o tato é mais importante que a visão
Pare
E pense
De que outra forma eu posso te sentir na escuridão?

Estou numa roda gigante
Subindo em direção ao meu objetivo
Não posso estremecer
Ou fechar os olhos
Porque quando lá em cima eu estiver
Terei que estar disponível
Pra abrir meus braços
E deixá-la encaixar aqui
Onde sempre foi o lugar dela.