O Efeito Vida

Eu nunca achei que escreveria isso, ou que sequer um dia pensaria assim.
A vida realmente dá um jeito de criar as mais impensáveis coincidências, e pra uma pessoa observadora como eu, é meio como uma afronta à lógica. É fácil entender como funciona, mas é difícil para nós como seres humanos aceitar tudo aquilo que se força a fugir do nosso laço de controle, pois somos programados para encontrar soluções.
Após um tempo acabamos percebendo que a maioria delas são paliativas.
O ponto central é: Temos que aceitar a espontaneidade das coisas.
Um dia acordamos e, porque um avião não decolou no outro lado do mundo, o jornal atrasou para ser produzido e, a pessoa que leria o mesmo jornal naquela manhã saiu mais cedo de casa, faz com que ela cruze o nosso caminho habitual.
Acaso.
Chegamos a entender, em um momento, que o clichê "era pra ser" é muito mais comum do que chegamos a pensar.
Mas não é o correto apoiar-se no acaso das coisas. Deve-se lutar por elas.
Acabo admitindo que a vida torna-se bem mais complicada quando temos a visão de que as menores decisões nos nossos dias podem impactar de forma gigante os próximos minutos.
É preciso criar a cultura de passar conhecimento. Não deveríamos procurar certas respostas, a humanidade deveria ser, nessa parte, mais como um sistema: Incrementar conhecimento, experiência - não tentar criar tudo do zero a cada geração.
Essa é uma grande dificuldade que percebo. Pessoas que levam décadas para se "encontrar" na vida, que fazem uma, duas faculdades, trabalham anos em suas áreas, só para envelhecerem e dizerem: "Não era isso que eu queria fazer."
"Não me sinto completo."
"Não me sinto Feliz."
Precisamos perceber que nossos antigos já sentiam-se assim, só não tinham a liberdade de comunicação que temos hoje. O conhecimento está na humanidade, muitas respostas já datam a própria Bíblia, basta procurar.
Procurar, pois como já mencionei anteriormente, o apoio do acaso, por mais confortável que pareça, não te faz evoluir, só estagnar.
Ninguém é preguiçoso a ponto de querer morrer na mesma ignorância que nasceu.
Entretanto, a vida, quebra-cabeça que é, nunca deixará de ser complicada. Devemos saber que, ao lutar pelas coisas, vamos dar o rosto em várias portas fechadas.
Paciência.
Talvez o recurso mais escasso, mais incompreendido, menos procurado.
O nosso relógio marca 24 horas todos os dias, mas a gente acaba vivendo o equivalente a 52 horas. A gente tem, normalmente, duas mãos e dez dedos, mas tem muita gente aí segurando filho, falando ao telefone, mexendo panela e sabe Deus o que mais. É tanto, que a frase que vamos mais ouvir por aí é "Não deu tempo."
Contar com o acaso, lutar pelos objetivos, ser paciente, são coisas que parecem, a princípio, conflitantes. É difícil para a mente ver o macro das coisas, entender que sal, água e açúcar são também três coisas completamente diferentes mas que, juntas, tratam um problema, a desidratação.
Bem vindo à vida.
Coisa a que somos apresentados ao nascer, levamos 50 anos pra conhecer e já estamos desde Adão e Eva para entender.


Comentários