Seguir em Frente





Eu vejo ele passar, abraçando o ar sem saber o porquê.
- O que você está fazendo? - Eu peço, com um riso de canto.
- Estou fazendo o que eu sempre deveria ter feito. - Ele me responde. - Eu sempre achei que a morte fosse o ponto final, mas agora eu vejo por cima do véu que me separava da realidade. As coisas não acabam aqui, assim. Agora eu compreendo que não deveria chorar pelas tristezas e sofrimentos meus, mas deveria rir, dos momentos que precisei rir espontaneamente.
- Mas como você consegue, eu digo, como você consegue compreender isso e pôr em prática? Como você consegue ouvir essa música e não gritar? - eu pedi.
- Isso depende muito, meu caro amigo. Isso depende até de quais pessoas você confia seus sentimentos. Eu tive sorte, meu caro amigo. Eu nem sempre amei as pessoas certas, mas só sofri por aquelas que valiam a pena.
- Eu queria tanto pensar assim, agir assim.
- Caro amigo, você vai. As coisas se acertam com o tempo.

- Você não precisa ver o céu todos os dias, você só precisa se lembrar dele.